Fizera pouco em tГЄ-lo deixado
Todo quebrado, desfigurado
IrreconhecГ­vel atГ© pra mГЈe
- "MГЈe, olha sГі que legal,
O carro que eu ganhei no natal,
Tu que me deu e disse cuidado pra que nГЈo arranhe".
- "Menino doido! Tu quebrou atГ© os friso!
Tem noção do prejuízo?
Acho que o teu vГ©i vai te matar".
Os olho dele esperando o carro do ano
Um modelo italiano
Que acabaram de inventar
CarrГЈo da porra tu pisava ele voava
Tu freiava ele ancorava
E eu lГЎ dentro a me debater
No bate-bate com a cabeça no volante
Voei pelos vidro da frente
E a raiva preta que eu nГЈo pude conter
Com o sangue quente cortei a testa
Quebrei os dente e toda aquela gente
Peste! NГЈo vem ninguГ©m me ajudar
Nem se mexiam pior que isso eles riam
Teto preto, o tempo fecha
OzГіvo inflama, hora do pau cantar
Eu quero Г© ver o oco
SГі na mГЈozada eu deitei seis
Mas detestei mater
Eu quero Г© ver o oco
Sem controle tocando o fole
É hora de dançar
Meu ódio por automotores começou cedo
Depois que eu tranquei os dedo
Na porta do opalГЈo
Meu pai de dentro se ria que se mijava
Achou que o filho festejava
Era dia de cosme e damiГЈo
Depois dos dedo foi o braço, a perna, as costas
Tu duvida? Bate uma aposta
Pois muitos vГЈo lhe testemunhar
Tanta fratura que deixa a doutora louca
Г‰ pino atГ© no cГ©u da boca
Tu cansa sГі de tentar contar
Eu quero Г© ver o oco
Г‰ pedir muito uma enfermeira
Vir me ajudar
Eu quero Г© ver o oco
Uma enfermeira gente boa
Vem me medicar
Eu quero Г© ver o oco
Eu quero Г© ver o oco


Ваше мнение



Капча

Рекомендуем